Diagnóstico do Cooperativismo terá expressão econômica

 

Indicadores financeiros são dados relevantes para se demonstrar a expressividade dos segmentos que compõem a economia regional. A próxima edição do Diagnóstico do Cooperativismo Paraense trará justamente um panorama das singulares do Estado, levando em consideração informações como Produto Interno Bruto (PIB), impostos, contribuições, encargos sociais, ativos, patrimônio líquido, capital social, reservas estatutárias e faturamento bruto. O documento ainda irá atualizar os dados da edição anterior. A iniciativa do Sistema OCB/PA deve ser entregue no próximo mês.

 

No Diagnóstico anterior, foram trabalhadas apenas informações como número de cooperados, empregados e cooperativas em cada ramo, assim como segmentos de atuação, produtos e serviços, mercado para onde comercializam, nível de desenvolvimento do produto (se é verticalizado ou não), certificação (quais possuem e as dificuldades que enfrentam para emitir), participação nos programas que o Sistema OCB/PA desenvolve, grau de maturidade e perspectiva do futuro. A partir disso, foi possível fazer um comparativo com cooperativas do mesmo ramo no Norte do Brasil e mensurar a representatividade do Pará em relação à Região.

 

“Quando começamos a fazer o levantamento do diagnóstico publicado em 2016, tínhamos a ideia de trazer informações muito importantes para debater com organizações públicas e privadas para apoiar o desenvolvimento das cooperativas. Sentimos a necessidade de ter algo mais para apresentar o cooperativismo paraense, mostrando também a capacidade econômica e financeira. É justamente este complemento que o diagnóstico trará, além de atualizar os demais dados”, afirmou o superintendente do Sistema OCB/PA, Júnior Serra.

 

A posse desses dados tornará a atuação do Sistema OCB/PA mais assertiva dentro do planejamento estratégico desenhado. As informações sobre impostos e contribuições das singulares, por exemplo, dará um suporte mais técnico para a articulação de políticas públicas, tais como solicitações de diferimento fiscal junto ao Governo. Os recursos poderão ser revertidos para ampliar linhas de produção, geração de emprego e renda e desenvolvimento para os municípios.

 

“As cooperativas paraenses estão se posicionando como atores decisivos dentro da economia do Pará, mas não tínhamos uma compreensão real do seu panorama financeiro porque as métricas utilizadas em outros levantamentos não se preocupavam em segmentar pelos setores. Contudo, agora poderemos evidenciar, de fato, quem somos em termos econômicos e os benefícios para as cooperativas serão vários”, afirmou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

O documento será divulgado com repercussão nacional, o que possibilita maior visibilidade para o Estado na captação de outras cooperativas e empresas que poderão enxergar o potencial do cooperativismo para fazer possíveis intercooperações, fusões ou mesmo constituições para potencializar o que está sendo identificado como estratégico. Também será possível habilitar as cooperativas frente a instituições de crédito para a busca de aporte financeiro a partir do respaldo de se ter uma análise econômica atualizada.

 

Os objetivos que estão sendo trabalhados no panorama serão apresentados de forma segmentada por cada ramo. Se seguiu o mesmo processo de produção do Diagnóstico anterior, elaborando um questionário base analítico por ramo de atividades, com pontos chaves acerca de temáticas como organização social, verticalização da produção, gestão e mercado. Após elaborado, o questionário foi validado pelos Gestores e Técnicos do Sistema OCB/PA, ampliando o universo da pesquisa para atender indicações necessárias para o mapeamento do Sistema Cooperativista.

 

A atividade foi desenvolvida em várias etapas. Foram feitos estudos e planejamento das variáveis de pesquisa, elaboração do formulário de pesquisa, composição e disponibilização da equipe que já esteve em campo para fazer o levantamento, utilização do banco de dados dentro das informações internas e outras fontes externas para, depois, desenvolver planilha para inserção, análise e tabulação dos dados. Finalizando, se emitirá relatórios e gráficos e elaboração da análise econômica financeira e social, produzindo o documento final. Atualmente, a equipe está na última etapa de análise. O prazo para entrega do documento formal é até o início de janeiro.

 

 

Dados

As informações acerca de 2017 ainda não estão consolidadas, mas o segmento cooperativista obteve resultados positivos na geração de postos de trabalho, cooperados e empregados. Os ramos agropecuário, saúde e crédito foram os que apresentaram números mais expressivos de crescimento ao longo do ano de acordo com dados do Sistema OCB/PA. Houve um aumento de 6,23% na arrecadação, posicionando as cooperativas paraenses na liderança do setor na Região Norte.  Até 2025, o Sistema OCB/PA projeta uma evolução qualitativa do setor, com 260 cooperativas, 230mil cooperados e 13mil empregados.

 

O estudo considera fatores econômicos, sociais e técnicos. Todas as cooperativas serão ouvidas e as informações colhidas irão subsidiar as ações institucionais de monitoramento, capacitação e intervenção de representatividade politica junto às esferas governamentais, assim como aos parceiros de cunho técnico e financeiro.  “Nossa avaliação é bastante positiva e a tendência é que tenhamos um salto ainda maior, consolidando a liderança da região Norte e nos equiparando com outras regiões que tradicionalmente são referências no setor. O Diagnóstico será um direcionador ainda mais decisivo”, conclui Ernandes.

 

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.