SESCOOP nacional chancela GESCOOP do Pará

 

Alinhado com as melhores metodologias do Brasil aplicadas ao desenvolvimento de grandes empresas, o Programa de Aprimoramento da Gestão Cooperativista (GESCOOP) obteve avaliação positiva de entidades nacionais. Representantes do SESCOOP e da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) estiveram em Belém nesta semana para conhecer melhor o trabalho articulado pelo Sistema OCB/PA. A iniciativa poderá ser difundida para o país com o intuito de regionalizar os Programas já desenvolvidos.

 

Na ocasião, o coordenador do Programa, Diego Andrade, apresentou como a ferramenta foi elaborada e implementada para a especialista técnica do PDGC na FNQ, Luciana Matos e para a analista de desenvolvimento e monitoramento do SESCOOP, Pamela Lima. “A ferramenta tem um propósito muito similar às demais ferramentas hoje desenvolvidas pela unidade nacional. Usa a análise do ambiente interno feita pelo PDGC como insumo para a construção do planejamento da cooperativa. Está bem estruturada e permite a confecção de um plano estratégico ou de negócios através do qual se vislumbra a visão de futuro, como se pretende crescer dentro do mercado”, enfatizou Luciana Matos.

 

O GESCOOP estabelece um Plano de Ação Estratégico que analisa elementos como: Negócio da Cooperativa; Ambiente externo, considerando fatores políticos, econômicos, sociais e tecnológicos; As forças de intensidade da competitividade do setor; Os fatores críticos de sucesso, analisando a entrega, padronização, continuidade na entrega, condições de venda dos produtos e serviços e o relacionamento com fornecedores; O ambiente interno, em relação às práticas desenvolvidas pela Cooperativa; Análise da atual missão e visão da cooperativa, com auxílio na estruturação ou reestruturação.

 

A partir disso, se faz a construção de objetivos e estratégias gerais, assim como as específicas em cada área funcional da cooperativa. As informações irão subsidiar o Plano de ação, definindo quais são os próximos passos, como serão realizados, os prazos de início e término, os recursos necessários e os responsáveis por cada ação.

 

Como parte da Programação, apresentou-se um case de como o Programa foi aplicado em uma singular. A gerente geral da Cooperativa dos Agricultores da Região de Tailândia (CART), Jeane Carvalho e a Diretora Secretária, Michele Castro, mostraram os resultados positivos gerados com a efetividade do GESCOOP. A cooperativa foi a primeira do Estado a receber a ferramenta.  

 

 

 

“Achei bastante interessante a forma como está sendo feito para as cooperativas, não imaginava que estava nesse nível. Abre a oportunidade de verificar o que tem de oportunidade no mercado, concorrentes e produtos substitutos. É um conhecimento importante para a cooperativa sair da zona de conforto, buscar novos desafios, desenvolver novos serviços e produtos com apoio da ferramenta. A análise de cenário faz com que a cooperativa reflita sobre o momento em que se encontra e o que deseja, traçando caminhos mais audaciosos para o futuro”, explica a analista Pâmela Lima.

 

Planejamento

Um dos principais investimentos previstos no planejamento estratégico do Sistema OCB/PA em 2018 é a profissionalização do setor através do GESCOOP. O objetivo é alcançar pelo menos 50 singulares do Estado com a ferramenta. “Já qualificamos nosso banco de instrutores com o repasse metodológico específico do GESCOOP para atender a toda essa demanda. A chancela do GESCOOP ainda nos dá mais credibilidade para continuarmos esse trabalho importante de potencialização das nossas cooperativas. É o caminho para despertar a gestão e extrair o que de melhor se pode oferecer frente à competitividade do mercado”, afirmou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.