CAMTA forma a sétima turma de aprendizes

 

A cada ano, o Programa Aprendiz Cooperativo recebe jovens cheios de sonhos, projetos e metas de vida. O cooperativismo acrescenta um nicho de mercado a mais para empreender, mas com um olhar diferente para o mundo. No último sábado (08), os alunos concluintes do Programa na Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (CAMTA) finalizaram uma etapa desse contínuo ciclo de aprendizagem. A solenidade de formatura reuniu alunos, diretoria da CAMTA, Sistema OCB/PA e familiares.

 

O evento foi organizado pelos próprios Aprendizes. Na ocasião foram apresentados, como resultado do aprendizado, projetos de pesquisa. Um destes tratou sobre a Lei da Acessibilidade, que apontou a demanda existente no município de estrutura para facilitar o acesso a portadores de necessidades especiais. Outra pesquisa focou na relação interna entre funcionários e gestores, que indicou a necessidade de maior aproximação entre a diretoria executiva com o corpo operacional.

 

O Presidente da CAMTA, Alberto Oppata, firmou compromisso em utilizar os resultados das pesquisas para melhorar os indicadores apresentados. “Agradecemos os apontamentos feitos e parabenizamos cada um dos jovens aprendizes pelo processo como um todo. Vamos trabalhar para melhorar sempre. Nosso desejo é que levem este espírito cooperativista para o resto das suas vidas, pois representa mais do que uma ferramenta de mercado. É um estilo de vida”.

 

Dentro da cooperativa, os aprendizes são separados de acordo com as maiores afinidades, podendo trabalhar diretamente na parte administrativa ou com os processos na indústria ou no laboratório de pesquisa. Dependendo da área e do setor, encaixamos os aprendizes que se enquadram com mais facilidade.

 

O SESCOOP-PA foi o pioneiro da região Norte a implantar o Aprendiz Cooperativo. O curso possui duração de 18 meses, com 500 horas práticas e 500 horas teóricas. No conteúdo programático são trabalhadas as disciplinas: Ética e Cidadania, Cooperativismo, Formação Humana e Científica, Introdução à Administração, Empreendedorismo, Comunicação e Linguagem, Matemática, Português, Informática e dois módulos específicos de Escritório, em que aprendem sobre todas as funções do auxiliar administrativo, e Mercado de Trabalho, que é um preparatório para entrevistas de emprego.

 

 “Sem dúvida, são experiências que contam bastante. Para o jovem, é a oportunidade de profissionalização técnica especializada com chances de absorção após o término do curso, além da vivência de momentos singulares. Eles são formados com os princípios cooperativistas que valorizam a responsabilidade social e o envolvimento solidário. Precisamos investir nessa mão de obra que pode contribuir significativamente para o avanço de cada ramo de atividade, com uma visão inovadora, ousada e promissora”, afirmou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.