Mercado cooperativista cresceu 25% em 2018

 

 

De acordo com dados da Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado do Pará (OCB/PA), o número de profissionais autônomos empreendendo através do cooperativismo cresceu 25% até o início de dezembro de 2018, comparando-se ao mesmo período do ano passado. Em 2017, o número de cooperados atuando no Estado era de aproximadamente 66mil.  Neste ano, o número chega a 83mil cooperados. O ramo Crédito lidera com 19.948 cooperados, seguido do ramo Agropecuário com 6.215 e do Saúde com 4.394.

 

O Sistema OCB/PA reitera que o parâmetro de avaliação de mercado no segmento cooperativista difere dos demais, pois o fator preponderante para a dinâmica de negócios não é a geração de empregos, mas sim a de oportunidades de trabalho. “Olhando para o lado social, conforme determina a legislação, cooperativa é uma sociedade de pessoas e não de capital. Sua função é oportunizar geração de trabalho e renda. O próprio cooperado é um trabalhador autônomo, um empreendedor que gerou, por si mesmo e pelas vantagens da organização coletiva, as condições necessárias para o próprio desenvolvimento econômico”, explicou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

Em relação ao número de empregos, houve um decréscimo de 457 postos. Em 2017, o segmento mantinha 4.936 empregados, chegando a 4.479 em 2018. A queda, de acordo com o Sistema OCB/PA, pode ser explicada pela entrada na irregularidade de cooperativas com a Organização e a não contabilização dos números destas. O ramo Saúde corresponde a 84,33% do total de empregos gerados com 3.777 contratações, seguido do ramo Agropecuário com 292 e do Crédito com 233.

 

“Consideramos que a média da geração de empregos no cooperativismo permaneceu estável durante o ano, posto que ao ficarem irregulares, não pontuamos os números dessas cooperativas, podendo ter naturalmente decréscimo ou acréscimo no final de cada período. Portanto, essa variação não influencia na análise”, ressaltou o superintendente do Sistema OCB/PA, Júnior Serra.

 

A projeção do Sistema OCB/PA, já que o número de profissionais incluídos na dinâmica de produção e comercialização cresceu, a tendência é que a geração de empregos em 2019 seja maior no mercado cooperativista. As apostas são na verticalização da cadeia produtiva no agronegócio, disseminação de boas praticas de gestão e governança nas cooperativas.

 

No total, o Estado possui 215 cooperativas, as quais 34% pertencem ao ramo transporte.  Em relação à contribuição cooperativista, a região metropolitana de Belém continua sendo a que mais arrecada para o Sistema, seguida do Sudeste Paraense, Baixo Amazonas, Nordeste e Sudoeste respectivamente.    

 

“Acreditamos que essas medidas de potencialização dos ramos irá se refletir também na contratação em regime de CLT futuramente. O crescimento do quadro social com novos cooperados direciona para uma maior demanda de mão de obra. A tendência é ou a inclusão de mais profissionais autônomos como sócios ou a efetiva contratação. De qualquer forma, os resultados obtidos em 2018 comprovam a importância das cooperativas para a economia regional”, reiterou Ernandes Raiol.

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.