Formação profissional terá investimento de R$ 2milhões

Mestrado Profissional, MBA para cooperativas da região oeste e o programa de capacitação continuada do sul e sudeste são algumas das ações previstas no planejamento estratégico do Sistema OCB/PA em 2019. Durante períodos de reajustes e diminuição dos recursos para o Sistema “S”, a entidade canalizará cerca de R$ 2 milhões à qualificação das cooperativas como medida estratégica. No total, 65,38% do orçamento será destinado para a área finalística, responsável pelo monitoramento, qualificação profissional e promoção social.

 

A matriz orçamentária foi construída em conjunto com todos os setores internos do Sistema OCB/PA. Dentro da arrecadação direta mais recursos provenientes do Fundecoop, feita em 2018 de R$5 milhões, o orçamento destinado diretamente para as cooperativas representa aproximadamente 65% do valor total, 35% serão destinados para o funcionamento, infraestrutura e manutenção da sede.

 

Destaca-se o centro de recursos dentro da área de formação profissional destinado a turma de mestrado em Gestão de Empreendimento Agroalimentares, promovido em parceria com o Instituto Federal do Pará (IFPA). No total, serão investidos R$330mil.  Participarão funcionários e associados das singulares registradas e adimplentes no Sistema OCB/PA aprovados em processo seletivo ocorrido durante 2018. “Dinâmica e Manejo de Agroecossistemas” e “Gestão de Empreendimentos Agroalimentares” serão as duas linhas de pesquisa a serem trabalhadas.

 

Outra grande novidade é a implementação da primeira turma de MBA voltada exclusivamente para cooperativas da região Oeste. Será investido R$150mil na qualificação de diversas cooperativistas ligados a singulares dos ramos agropecuário, crédito e saúde que estejam devidamente regulares com o Sistema. Já na região metropolitana de Belém, o ramo saúde terá recursos na ordem de R$30mil para a continuidade da Pós-Graduação em Urgência e Emergência, com intenção de ampliar para mais um MBA em Atenção Primária à Saúde na cooperativa Unimed Belém.

 

“Com o cenário político que se constrói em âmbito federal, tivemos que redesenhar a matriz orçamentária do Sistema OCB/PA, mas seguindo a linha de priorização à formação profissional. Será justamente a qualificação da mão de obra que levará o país de volta aos rumos de crescimento econômico. Neste sentido, 2019 será um ano ímpar, pois iniciaremos a primeira turma de Mestrado cooperativista no norte do país, a primeira turma de MBA Cooperativista descentralizada, além das outras capacitações regulares”, explicou o superintendente do Sistema OCB/PA, Júnior Serra.

 

Na construção do planejamento para 2019, foi levado em consideração o bom momento de alguns setores para canalizar o recurso de maneira mais assertiva e estratégica. Um deles é o ramo agropecuário, que possui o segundo maior número de cooperativas e empregados. A entidade investirá R$ 100mil em Projeto Estruturador de Desenvolvimento do Cooperativismo Graneleiro que  potencializará as cooperativas de grãos. O objetivo é a verticalização produtiva e a migração para outros segmentos de atividade que agreguem maior valor, como suinocultura e avicultura.

 

Outro projeto estruturador estratégico será o Programa Qualidade Cooperativista  do Ramo Agro (AgroCoop), que priorizará o fortalecimento das singulares. Serão realizadas ações específicas divididas em quatro eixos: organização social para o cooperativismo, gestão, certificações/verticalização produtiva e mercado.

 

 

Já para o ramo crédito, que possui o maior número de cooperados no Estado, se dará prosseguimento no Programa Formacred, que aprimora a qualidade técnica dos ocupantes de cargos eletivos das cooperativas financeiras. Em 2019, planeja-se criar uma dinâmica de capacitação itinerante, levando o curso para todas as regiões paraenses que possuam o cooperativismo de crédito, facilitando, assim, a participação de gestores pertencentes a localidades mais distantes da capital.

 

 

Na área de monitoramento, será investido um total de R$ 50mil para a aplicação dos Programas de Desenvolvimento da Gestão Cooperativista (PDGC) e do Programa de Acompanhamento de Gestão Cooperativa (PAGC). A expectativa é de 166 ações e 22mil beneficiados. O GESCOOP também receberá o incremento de R$ 50mil, com a perspectiva de 50 ações em 20 cooperativas.

 

 

 

“Há anos, o SESCOOP/PA adotava a prática de reter 50% do orçamento para atender a área meio, a área de retaguarda. Porém, entendemos que o recurso precisa estar mais disponível para as singulares. Por isso enxugamos o quadro de funcionários e trabalhamos com uma equipe polivalente, com pessoas que conseguem atender as necessidades das cooperativas em diversas finalidades. A medida possibilitou essa adequação significativa para apoiar melhor as atividades operacionais. Fortalecendo as cooperativas, também nos fortalecemos através do retorno em arrecadação”, afirmou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

“O próximo ano será um momento difícil, de mudanças e adaptações. Em contrapartida, o cooperativismo já se mostrou forte nos piores momentos da crise e é juntos que conseguiremos galgar dias melhores. Temos estabelecido um contato direito com parlamentares em Brasília, levando a bandeiro do cooperativismo e de sua representatividade econômica”, reiterou o presidente Ernandes Raiol.

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.