Sicredi distribuirá mais de R$1 bilhão para cooperados

 

O resultado do último exercício financeiro chegou a R$ 2,7 bilhões, dos quais mais da metade retornará para os associados ao Sicredi no Brasil. Em terras paraenses, as sobras chegaram a R$10 milhões. A projeção é que esse número dobre em 2019 com as sete agências a serem inauguradas no Estado em seis municípios. O planejamento foi apresentado pelo presidente da Central Sicredi Centro Norte, João Carlos Spenthof, em reunião com o presidente e com o superintendente do Sistema OCB/PA em Belém.

 

O Sicredi é composto por 110 cooperativas singulares no país, dividas em cinco regiões com cinco centrais. No caso da Centro Norte, que abrange o Mato Grosso e o norte do Brasil, estão ligadas 10 cooperativas, entre as quais 3 cooperativas possuem atuação no Pará: Sicredi Sudoeste (Marabá, Redenção e Parauapebas), Sicredi Norte (Novo Progresso, Itaituba, Santarém e Altamira) e Sicredi Verde Pará (Paragominas, Tomé-Açu, Redenção). Já a Sicredi Belém está vinculada à Central Norte/Nordeste.

 

Em relação aos números nacionais, o Sistema já possui mais de 1.600 agencias no país, mais de 4 milhões de associados, R$ 100 bilhões em ativos, sendo a 11ª força financeira do país. No estado do Pará, já são 21 agências, 40 mil associados, R$ 600 milhões em operações de crédito, R$ 65 milhões em caderneta de poupança, mais de 300 colaboradores diretos e R$10 milhões em resultados.

 

“Para 2019, pretendemos dobrar essas sobras. Não temos o objetivo do lucro, cobramos taxas e tarifas mais acessíveis que a média financeira tradicional. Porém, mesmo assim, as sobras são importantes, pois se incorporam ao patrimônio e as cooperativas precisam disso para continuar crescendo e trazendo mais benefícios”, explicou o presidente da Central, que também é vice-presidente da Confederação Nacional do Sicredi.

 

O Sicredi realiza operações de crédito em diversas modalidades, em grande parte investimentos a longo prazo, apoiando diversas atividades produtivas: agricultura, pecuária, pequenos negócios, comércio, profissionais liberais, funcionários públicos e de empresas, crédito consignado e crédito para veículos. Também se planeja iniciar as operações com credito imobiliário.

 

 

 

EXPANSÃO

O processo de inauguração das sete novas agências já está encaminhado nos municípios: Ourilândia e Santana do Araguaia (Sicredi Sudoeste), Brasil Novo, Belterra, Mojuí dos campos e mais duas agências em Santarém (Sicredi Norte MT/PA). Os prédios estão sendo reformados e os funcionários contratados e treinados. Até 2025, projeta-se uma média de no mínimo mais sete por ano.

 

Para 2019, a projeção é crescer de 15% a 20% em associados no Pará, R$ 20 milhões de sobras e R$1 bilhão em operações de crédito. “Há cidades em que 80% dos munícipes estão associados a uma cooperativa, fazendo com que o movimento financeiro da cidade passe por elas. O Pará pode chegar a esse nível. É só uma questão de tempo. O conhecimento sobre o cooperativismo está aumentando gradativamente, assim como a rede de agências que dão uma visibilidade muito grande, além do boca-boca. Por isso, o crescimento no Estado é muito maior do que a média nacional. Estamos em franca expansão. Em outras regiões estamos consolidados, mas  nossa velocidade de abertura é muito maior aqui”, explicou Spenthof.  

 

Na reunião com o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol, e com o superintendente Júnior Serra, foi apresentado o projeto de expansão e se discutiu como o Sistema pode auxiliar no processo. Busca-se parceiras com outro ramos e identificação de outras oportunidades de negócio. No mesmo dia, por exemplo, o presidente Spenthof aproveitou a ocasião do workshop agro na Casa do Cooperativismo e divulgou os serviços do Sicredi.

 

“Enquanto os bancos estão fechando agências e demitindo funcionários, o cooperativismo cresce cerca de 5x mais que o sistema financeiro tradicional, abrindo agências contratando novos funcionários. A população paraense começa a entender os benefícios das cooperativas em sua atuação voltada para o desenvolvimento regional. Estamos disponíveis para auxiliar no que for necessário, afinal, o crédito é indispensável para o fomento dos demais ramos”, enfatizou o presidente Ernandes Raiol.

 

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.