FENCOOP marcou lançamento do 2º Diagnóstico

 

 

Autoridades políticas, instituições públicas, universidades e, claro, o público paraense conheceu o crescimento do cooperativismo em números. Na abertura da Feira de Negócios do Cooperativismo (FENCOOP), o Sistema OCB/PA apresentou os dados consolidados do 2º Diagnóstico do Cooperativismo. Em todo o Pará, são 215 cooperativas, 93.547 cooperados e 3.854 empregados.

 

No ranking relacionado à quantidade de cooperativas, o ramo transporte manteve a liderança com 75 singulares, seguido do agropecuário com 62 e do ramo trabalho com 25 cooperativas. Em relação aos cooperados, o ramo mineral lidera com 47.281 sócios, seguido dos ramos crédito com 30.136 e do agropecuário com 6.083 cooperados.

 

O Diagnóstico possui dados apenas de cooperativas ativas e registradas no Sistema OCB/ PA. Foi construído através de perguntas que perpassam pelas dimensões sociais, gerenciais, produtivas e mercadológicas. Após esses elementos, são apresentados análises por meios de textos e infográficos ilustrados no decorrer dos estudos.

 

Foram ouvidas cooperativas dos ramos Agropecuário, Consumo, Educacional, Crédito, Especial, Infraestrutura, Saúde, Mineral, Produção, Transporte, Turismo/Lazer e Trabalho. Pontuam-se questionamentos acerca da organização social, verticalização do empreendimento, gestão e mercado. Após o levantamento, as informações foram validadas pelos gestores e técnicos do Sistema OCB/PA.

 

“Tais números permitem não só conhecermos as realidades locais, mas também possibilitam orientar atividades técnicas do próprio Sistema OCB/PA, bem como debater sobre políticas públicas com as esferas governamentais”, afirmou o superintendente do Sistema OCB/PA, Júnior Serra.

 

No documento, constam informações sobre os números gerais de cooperativas, empregados e cooperados por ramo, traçando um perfil de cada segmento. Analisa-se os eixos produtivos operados, nível de verticalização, certificação, logística e distribuição, canais de acesso ao mercado, acesso ao crédito e principais eixos de dificuldade das cooperativas.

 

Os dados do 2º Diagnóstico confirmam o crescimento do setor. Em número de profissionais autônomos empreendendo através do cooperativismo, houve um crescimento de 25% até o início de dezembro de 2018, comparando-se ao mesmo período do ano anterior. Com o aumento de profissionais incluídos na dinâmica de produção e comercialização, a tendência é que a geração de empregos em 2019 seja maior no mercado cooperativista. As apostas são na verticalização da cadeia produtiva.

 

“Os números mostram o crescimento do setor e o dinamismo dos ramos, além de sua importância econômica, social e até mesmo ambiental para os municípios paraenses. Prospectamos um perene caminho de desenvolvimento através de cooperativismo forte e consolidado”, reiterou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

Leia o documento na íntegra:

Diagnóstico do Cooperativismo Paraense 2018

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.