“Rumo ao 1º Bilhão” é a aposta o Sicoob Transamazônica

Nesta sexta (02), na Estação das Docas, tomará posse a nova diretoria do SICOOB Transamazônica, que apresentará o novo plano de negócios para setores estratégicos do Estado com o lançamento do projeto “Rumo ao 1º Bilhão”, em que pretende alcançar ainda neste mandado da nova diretoria.  A programação será em parceria com o grupo empresarial Citropar,  que aproveitará para lançar a safra 2019/2020 do polo da citricultura no Pará. Fechando o evento, os cantores Sérgio Reis e Renato Teixeira farão apresentação musical.

A objetivo é tonar o SICOOB Transamazônica em breve a maior cooperativa do Estado. Atualmente, são R$ 60 milhões em ativos com uma média de crescimento mensal de 10%, mesmo percentual para a expansão da carteira de crédito e do volume de recursos administrados.

“Se continuarmos nesse ritmo, muito em breve, creio que ainda nos próximos meses, deveremos alcançar 100 milhões em ativos e superar algumas das maiores cooperativas financeiras no Estado. Isso com apenas quatro anos de constituição. Temos condições de fazer um crescimento ainda maior com a expansão para todos os municípios paraenses”, explicou o presidente do conselho de administração da SICOOB Transamazônica, Antônio Henrique Gripp.

A SICOOB Transamazônica atuava em 13 municípios no regime de livre admissão. Com os números de crescimento experimentado em apenas 4 anos de constituição, a Central SICOOB Unicoob, responsável pela organização das singulares do Sistema no Pará, liberou o acesso da cooperativa às demais cidades. O raio de atuação será ampliado, beneficiando os 144 municípios pertencentes ao Estado.

SAFRA 2019/2020

 

O Grupo Citropar é um dos parceiros estratégicos da SICOOB Transamazônica, que tem investido expressivamente no apoio aos produtores rurais do Estado. Na ocasião, a Citropar mostrará o seu potencial na produção de citros. Constituído há mais de 25 anos, o grupo empresarial instalou a primeira fábrica de suco de laranja concentrado da Região Norte, com capacidade para produzir 80 mil toneladas durante a safra e 60 toneladas de suco concentrado ao dia, números que devem dobrar em 2020.

 

“A chegada da Zampa Agroindustrial gerou diversas oportunidades de emprego para Capitão Poço, assim como a possibilidade de valorização da laranja, agregando valor para a região com a verticalização do produto, antes fornecido apenas in natura. Queremos ampliar essa expressividade socioeconômica, garantindo o desenvolvimento sustentável do Norte e Nordeste brasileiro”, afirmou o proprietário da Citropar e conselheiro da SICOOB Transamazônica, Júnior Zamperlini.

 

Com um crescimento mensal de 10% no volume de recursos administrados, nos ativos totais e na carteira de crédito, a SICOOB Transamazônica ampliará seu raio de atuação, beneficiando os 144 municípios pertencentes ao Estado. Em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), os cooperados aprovaram a ampliação por unanimidade com a anuência da Central SICOOB Unicoob.

 

A cooperativa iniciou o ano com 1.900 cooperados, capital social de R$ 7 milhões e R$ 26 milhões de recursos administrados. Para 2019, a proposta era alcançar o número de 3 mil associados. No entanto, a meta foi ultrapassada já no primeiro semestre com a associação de 3.500 pessoas, um crescimento de 10% ao mês.  A previsão é que o quadro de sócios chegue a 5 mil até o final de 2019.

 

“A Central percebeu que estamos expandindo de forma muito rápida por conta da vocação empreendedora dos conselheiros, que também são pontos de influência em diversos segmentos econômicos no Pará. Desta forma, queremos promover a inclusão financeira ao maior número de pessoas possível com nosso portfólio de soluções diferenciadas, afinal, toda a população pode, e deve, ter o acesso a um crédito mais justo e vantajoso”, explicou o presidente do conselho de administração da SICOOB Transamazônica, Antônio Henrique Gripp.

Na AGE, ocorrida no Sindicato dos Produtores Rurais de Pacajá, houve modificações em três pontos do estatuto social da cooperativa. Além da apreciação sobre a expansão da área de atuação, os associados deliberaram sobre a mudança na razão social, que antes estava fechada a Pacajá e região. Decidiu-se pelo nome “Cooperativa de Crédito Sicoob Transamazônica”. Outro ponto foi a alteração do modelo de representação convencional para o de delegados.

“Será necessário adotarmos esse formato em virtude do crescimento de associados. Teremos 30 delegados eleitos pela Assembleia que irão representar cada cidade onde a cooperativa atua. Esperaremos a homologação do Banco central no prazo de 6 meses para então fazermos as eleições. Poderão se candidatar todos os sócios que não tiverem restrições”, explicou o presidente.

 

PLANEJAMENTO

Com a expansão das fronteiras da cooperativa, também se alterou imediatamente o planejamento estratégico, incluindo o plano de ações para a cobertura de todo o Estado. O primeiro passo foi a profissionalização da diretoria executiva com a estrutura necessária para se alcançar as metas estipuladas. Foram contratados um diretor administrativo financeiro e um diretor de negócios.

Também foram abertas 30 vagas para gerente de relacionamento que atuarão em cada praça estratégica do Estado. Serão alcançados, em um primeiro momento, todos os municípios com mais de 100 mil habitantes e as demais praças nas quais forem demandadas por parceiros estratégicos com os quais já exista relacionamento instalado, tais como: Santarém, Castanhal, Paragominas, Parauapebas, Canaã dos Carajás, Redenção e Altamira.

Os primeiros municípios a receberem a expansão da cooperativa serão Marabá e Capitão Poço, onde já foi viabilizado espaço que está sendo reformado.  Redenção e Tailândia também irão inaugurar uma agência da SICOOB Transamazônica até dezembro. Uma das estratégicas é baixar o valor da cota capital para R$1,00.

“Já passamos a primeira fase de constituição, que demanda sempre precaução. Já com uma maior consolidação de patrimônio, optamos por diminuir essa taxa de ingresso à cooperativa, deixando apenas o valor mínimo que a legislação exige. A ideia do conselho é possibilitar o acesso da cooperativa a qualquer pessoa física ou jurídica”, explicou o diretor presidente, Lucas Gelain.

 

 

 

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.