SEDAP recebe demandas de cooperativas para emendas parlamentares

 

O Governo do Pará, através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (SEDAP), recebeu documento produzido pelo Sistema OCB/PA que contém dados sobre as principais necessidades das cooperativas agro em relação à infraestrutura. O objetivo é canalizar emendas parlamentares através da Secretaria que, junto com o Sistema, fará articulação política com deputados estaduais e senadores.

 

O produto “Qualificação de Demandas Cooperativistas para Emendas Parlamentares” foi uma iniciativa solicitada pela própria SEDAP por ocasião da Feira de Negócios do Cooperativismo (FENCOOP), quando as singulares paraenses expuseram o potencial de seus produtos e serviços. Foi feito o levantamento do que cada singular necessita para o fomento de suas atividades com foco na verticalização produtiva.

 

O documento consolidado foi apresentado e entregue na última terça (10) para o titular da SEDAP, Huego Suenaga.  A Secretaria avaliou as informações e acrescentará os dados em seu edital de licitação no sistema de registro de preço, que será publicado até o final do ano. A partir de então, os parlamentares interessados em contribuir com o desenvolvimento do setor poderão liberar os recursos de suas emendas para, por meio da SEDAP, fazer a aquisição dos maquinários solicitados que constarem no sistema.

 

“Como os parlamentares não podem demandar recursos diretamente para instituições privadas, a SEDAP se disponibiliza em auxiliar nesse processo de maneira assertiva. O documento produzido pelo Sistema OCB/PA é bem substanciado de informações e direcionado a empreendimentos com viabilidade para geração de trabalho, emprego e renda. O procedimento licitatório já estará encaminhado até o final do ano e começaremos o aparelhamento das cooperativas em 2020”, explicou Hugo Suenaga.

 

No total, foram entrevistadas 31 cooperativas de todas as regiões paraenses. Levantou-se os focos prioritários para o desenvolvimento, levando se em consideração critérios como impacto tecnológico gerado, aumento produtivo, agregação de valor, poder de verticalização da cadeia produtiva, potencial de replicação regional e estadual, resultado prático no cotidiano social do município, região e no Estado.

 

As principais demandas ressaltadas foram a aquisição de indústria própria, veículos para transporte da produção, revisão de plano de manejo e da unidade da flona, câmara frigorífica para armazenagem das mercadorias, diferimento fiscal, certificação e envasamento dos produtos.

 

“Nossa finalidade é apoiar na assertividade dos poderes legislativo e executivo do Pará na destinação de recursos públicos que visem aprimorar as atividades desempenhadas pelos produtores, auxiliando na agregação de valor à produção cooperativista. Neste sentido, o apoio do Governo do Estado, em especial da SEDAP, é fundamental para a transformação da realidade do cooperativismo paraense. Já iniciamos as articulações com deputados e senadores e intensificaremos a partir de agora”, explicou Ernandes Raiol.

 

Na ocasião, também foi apresentado documento sobre as demandas qualificadas para o exército. O objetivo é identificar as oportunidades de mercado para as cooperativas e elevar o entendimento junto ao exército, alinhando suas demandas qualificadas de alimentos para redação de editais com maior assertividade no que se refere aos produtos realmente produzidos na região. As cooperativas também terão atendimento técnico do Sistema OCB/PA para melhorias nos processos produtivos e comerciais, embalagem e logística.

 

“Já temos cases de cooperativas que conseguiram acesso a esse mercado, mas que ainda precisa ser melhor explorado.  Só no próximo edital do exército teremos quase R$ 8 milhões que podem ser acessados pelos agricultores organizados no modelo cooperativo. Por isso é tão importante esse auxílio estrutural para que tenham condições de ampliar a escala produtiva”, reiterou Raiol.

 

RECURSOS

Em julho, o Sistema OCB/PA articulou audiência pública com o secretário Hugo e a COOSAFRA, cujo resultado foi a definição da verba a ser repassada para a aquisição de equipamentos para o processamento de frutas. Sediada no maior município produtor de abacaxi do Brasil, a cooperativa tem na fruta o seu carro-chefe. A iniciativa surgiu há 10 anos e foi responsável por quatro milhões de frutos dos 300 milhões de abacaxis exportados no ano passado.

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.