Encontro de Lideranças ocorre na próxima semana

 

Distribuído em 201 cooperativas, 11 ramos, mais de 66mil cooperados e 5mil empregados, o cooperativismo no Pará vislumbra horizontes ainda mais promissores que serão alcançados apenas com gestão participativa e planejamento. O Encontro de Lideranças foi concebido por este motivo e, em 2018, reunirá momentos históricos. Na próxima segunda (16), os dirigentes das singulares paraenses participam da inauguração da sede própria a partir das 19h30. No dia 17, as cooperativas definem a presidência da entidade em Assembleia Geral Ordinária (AGO) da entidade e participam da oficina de Planejamento Estratégico. Na quarta, ocorre a Oficina da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

 

Cooperativas de todo o Estado, autoridades políticas e parceiros institucionais foram convidados para a cerimônia de inauguração da Casa do Cooperativismo. A sede comportará todas as atividades de rotina, compreendendo as ações da área meio, atendimentos na área finalística, reuniões estratégicas da diretoria executiva, assim como as aulas teóricas do Programa Aprendiz Cooperativo. Para isso, a estrutura possui três andares, conta com espaço para estacionamento, amplo auditório e mais de 10 salas divididas para a realização de atendimentos e treinamentos.

“É um momento muito importante para todos nós, pois representa o legado físico do esforço e dedicação de cada cooperativista paraense que deixou uma contribuição direta para termos uma sede própria. Por isso, todos estão convidados para celebrarmos juntos”, enfatiza o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

No dia 17, as cooperativas se reúnem na Assembleia Geral Ordinária (AGO) da entidade a partir das 08h. Será feita a validação do regimento eleitoral e pleito para composição do Conselho Diretor, Conselho Fiscal e Conselho de Ética da OCB/PA. Em seguida, será apresentada a prestação de contas do exercício 2018 e o relatório de gestão, seguindo-se do parecer do Conselho Fiscal e auditoria. Outros assuntos a serem discutidos serão a proposta e aprovação orçamentária anual, as alterações previstas com o caráter facultativo da contribuição sindical e a concessão de isenção da taxa de manutenção para as cooperativas de catadores de materiais recicláveis e especiais.

 

Às 14h da terça, ocorrerá oficina de Planejamento Estratégico, no qual as singulares definirão os objetivos e metas a serem alcançadas pelo Sistema nos próximos anos. O Planejamento será a oportunidade para as cooperativas apontarem as medidas cruciais de interesse das próprias cooperativas. A finalidade é fortalecer e desenvolver as áreas de expansão a partir de uma dinâmica participativa. As necessidades específicas de cada ramo serão discutidas para, então, consolidar um plano de trabalho geral com as metas a serem alcançadas pelo Sistema OCB/PA.

 

“A gestão democrática, princípio inerente ao cooperativismo, prevê que as cooperativas sejam geridas por todos os sócios. Do mesmo modo, o Sistema que legitima e organiza tais singulares deve ser pautado no princípio das decisões coletivas, afinal, o público alvo das nossas ações são os cooperados, colaboradores e demais envolvidos com as cooperativas. São estes que dirão com propriedade os rumos que devemos seguir”, explica Raiol.

 

No encerramento do Encontro de Lideranças, na quarta (18), será realizada a Oficina do Modelo de Excelência da Gestão® (MEG) que tratará sobre boas práticas de gestão, elaboradas pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). A Metodologia promove competitividade e sustentabilidade, aprendizado organizacional, proporciona um referencial para a gestão de organizações, a avaliação e a melhoria da gestão de forma abrangente, melhora a compreensão de anseios das partes interessadas, mensura os resultados do negócio de forma objetiva, desenvolve a visão sistêmica dos executivos, incorpora a cultura da excelência, permite um diagnóstico objetivo e a mensuração do grau de maturidade da gestão, entre outros benefícios.

 

“Pensamos em tudo como um processo mais complexo de aprimoramento. Percebeu-se a necessidade de desenvolver avanços no sentido político, organizacional e técnico. Para isso, elaboramos a Matriz da Cooperação. Identificamos a falta de maturidade nos produtos e na gestão de cooperativas. Aplicamos, então, o diagnóstico do GESCOOP. Vimos a necessidade de aprimorar boas práticas de gestão. Consolidamos a parceria com a FNQ para aplicarmos o MEG, que já serve como estímulo à participação do Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativista (PDGC) ao utilizar a metodologia da FNQ como base para avaliação”, explica o superintendente do Sistema OCB/PA, Júnior Serra.

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.