Aprendizes levaram diversão para crianças de projeto solidário

 

 Era apenas o desenho de uma borboleta pintada à aquarela, mas, para os alunos do Programa Aprendiz Cooperativo, representou bastante. Foi o símbolo do afeto refletido a cada criança das comunidades Portelinha I e II, do Saré, beneficiadas pelo projeto “Fazer o Bem Sem Olhar a Quem”. Os aprendizes distribuíram cestas básicas para as famílias do local e organizaram uma programação especial com brincadeiras para as crianças e palestras para os pais.

 

No total, 100 famílias foram beneficiadas com cestas completas de itens de necessidade básica. O Projeto que já atua há anos na região fez o levantamento e cadastro antecipado. Uma equipe dos aprendizes ficou com as crianças em espaço à parte promovendo brincadeiras, entrega de lanches, bombons e distribuição de alguns brinquedos. Para os pais, foram relatados depoimentos em forma de conversa sobre a experiência de alguns aprendizes na superação de dificuldades como a depressão e empreendedorismo.

 

“O trabalho dos alunos foi excelente. Participaram de todas as etapas do processo, protagonizando desde a arrecadação dos alimentos não perecíveis até a execução das atividades na ocasião. A iniciativa resume bem todos os ensinamentos ministrados pelo Programa em cada módulo, principalmente sobre o sétimo princípio cooperativista que é o interesse pela comunidade. Provaram que, de fato, entendem e vivem o cooperativismo”, reiterou a coordenadora do Programa Aprendiz Cooperativo, Rafaela Menezes.

 

O projeto “Fazer o Bem Sem Olhar a Quem”, apoiado pelos aprendizes, promove regularmente eventos sociais e culturais à população carente, como aulas de dança de balé para crianças. Nos finais de ano, é realizado um evento maior com a entrega de cestas de básica. As comunidades beneficiadas em 2018 foram a Portelinha I e II do Saré, localizadas no Distrito Industrial de Ananindeua. A programação ocorreu na última terça (11), na sede de uma associação no Conjunto Geraldo Palmeira.

 

“Os nossos jovens precisam ter a convicção de que conseguem transformar, sim, com pequenos gestos, com pequenas ações, com pequenas doações, a realidade de muitas famílias que estão à margem da sociedade. Isso sim é cooperativismo. Todos se envolvem, todos cooperam e todos crescem”, reiterou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

 

 

Shadow
Slider
SISTEMA OCB/PA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.